Detalhadamente

Inteligências Múltiplas: Inteligência Musical

Inteligências Múltiplas: Inteligência Musical

Quem não gosta de música? A música não entende culturas, idade ou sexo ... A música é universal. Serve para dançar, concentrar-se, andar, apaixonar-se, regozijar-se, nos deixar tristes. A música não entende fronteiras. Todos nós gostamos de música, de acordo com a teoria de múltiplas inteligências de Howard Gardneralguns apreciam mais inteligência musical.

Todo mundo, ou quase todo mundo, tem um amigo que é especialmente bom em tocar um instrumento. E o mais curioso é que muitos desses amigos aprenderam sozinhos ou receberam poucas aulas. Jonh Lennon, um componente de um dos melhores grupos da história da música, os Beatles, quase não recebeu instrução musical. Ele aprendeu por conta própria e seu amigo Paul McCartney ensinou-lhe alguns acordes. Como é possível que ele fosse um músico tão excepcional?

Conteúdo

  • 1 O que é Inteligência Musical?
  • 2 A inteligência musical sempre esteve lá
  • 3 Quadro musical histórico
  • 4 estágios de desenvolvimento musical no indivíduo
  • 5 Perfil de sujeitos com Inteligência Musical
  • 6 Promovendo Inteligência Musical
  • 7 Bibliografia

O que é inteligência musical?

O Inteligência Musical pode ser definido como toda essa habilidade relacionada à percepção, discriminação, transformação e expressão musical. Toda vez que pensamos em termos de sons, ritmos e melodias, estamos usando esse tipo de inteligência. Esse tipo de inteligência também nos permite expressar emoções e sentimentos sem palavras, apenas através de sons e melodias.

"O poder terapêutico da música é muito importante e tem um efeito relaxante nos movimentos que seriam impossíveis de não mediar sua performance".

-Oliver Sacks-

O físico Philip Ball afirma que A música vai além do puramente cognitivo. Segundo o autor, a música "Pode afetar o sistema imunológico, aumentando os níveis de proteínas que combatem infecções microbianas".

O etnomusicologista John blacking garante que "O desenvolvimento dos sentidos e a educação das emoções através da arte não são apenas opções desejáveis, mas escolhas essenciais para uma ação equilibrada e uso eficaz do intelecto".

A inteligência musical sempre esteve lá

Os primeiros sinais de movimentos musicais remontam ao pré-história. Resultados e indagações sobre pinturas rupestres foram produzidos. ritos da época em que a música fazia parte. A música pode vir da natureza e da própria voz. Os ossos, juncos, troncos e outros elementos serviram para produzir sons.

No Egito, foram os padres que possuíam o conhecimento mais avançado da música, mesmo usando a escala de sete sons. O Egito já tinha instrumentos como a harpa e o oboé. Aqui podemos ver como eles usaram instrumentos de corda e sopro para produzir música.

Em Músicos da Mesopotâmia gozavam de grande prestígio. Seu trabalho era acompanhar os reis em atos de adoração, em cerimônias de palácio e em guerras. Na Grécia antiga, os instrumentos utilizados eram a lira, a cítara, a seringa e os diferentes tipos de bateria.

"A música dá alma ao universo, asas à mente, vôos à imaginação, conforto à tristeza e vida e alegria a todas as coisas."

-Plato-

No Idade Média destaca o canto gregoriano como um meio de expressão religiosa. No Renascimento (Séculos XV e XVI) foi uma explosão criativo para países como França, Alemanha, Inglaterra, Espanha e Itália. Mas onde essa explosão criativa teria mais força estaria no Barroco (Séculos XVII e XVIII). O barroco serve de prelúdio ao classicismo, onde a música se torna mais equilibrada entre estrutura e melodia.

Durante o Romantismo o arte O mais valorizado foi o musical. Os compositores românticos deixaram de lado a estrutura rígida do classicismo e procuraram maneiras de expressar sentimentos e emoções de maneira muito mais direta e apaixonada.

Os séculos XX e XXI significaram uma revolução musical em muitos níveis. Novos movimentos como microtonalismo, neoclassicismo, impressionismo, música eletrônica e todos os estilos que conhecemos hoje aparecem.

Esta breve revisão da história musical nos permite observar que A música não é um elemento estático, mas é uma arte em movimento. O formulário pode ser diferente, mas o objetivo é sempre o mesmo: expressão através de ritmos, melodias ou canções de sentimentos, emoções e pensamentos.

Quadro musical histórico

  • Pré-história (5000 aC - 5000 aC) - Canção de caça e guerra ao redor do fogo
  • Mundo Antigo (5000 aC - 476 dC) - Egito: conhecimento reservado aos padres. Uso de instrumentos como harpa (Egito) ou flauta (Grécia).
  • Idade Média (450-1450) - Canto Gregoriano Litúrgico.
  • Renascença (1450 - 1600) - Música sacra: o molete. A missa. Música vocal O Madrigal Musica instrumental.
  • O barroco (1600-1750) - O concerto nojento. A fuga. A ópera. A sonata A suíte. O coral A cantata O oratório
  • Clássico (1750-1820) A sonata. O tema e variações. O minueto e o trio. O rondo. A sinfonia e o concerto clássico. Música de câmara
  • Romântico (1820 a 1900) - O canto. Nacionalismo
  • O século XX-XXI (atual 1900) - Empreendedorismo e simbolismo. Neoclassicismo Expressionismo Sistema Dodecágono Tonal Serialism Música eletrônica. Música aleatória. Microtonics Jazz Os azuis Os vivos Ragtime. O rock.

Etapas do desenvolvimento musical no indivíduo

  • Primeiros meses. O bebê gosta de ouvir os sons da voz humana, especialmente os das mães. Recomenda-se que os pais cantem canções harmoniosas e simples.
  • 6-24 meses Eles começam a associar músicas a movimentos específicos e a diferenciar timbres de vozes. Desenvolvimento de respostas emocionais para diferentes músicas.
  • 2 anos. Você pode repetir versos curtos de músicas e reagir ritmicamente à música.
  • 3 anos. Gradualmente, começa a acumular repertório de músicas. Também explora contrastes de diferentes níveis de timbre, duração, intensidade e sente prazer com o som.
  • 4 anos. Distinguir sons de diferentes instrumentos musicais. É capaz de discriminar ruídos e sons. Mostrar preferência por sons de percussão.
  • 5 anos. Melhoria das habilidades de coordenação. A música começa a se tornar um meio ideal para conhecer, aprender e expressar.
  • 6 anos. A criatividade musical está surgindo pouco a pouco.
  • 6-9 anos Começa a comunicação musical, interpretação e criação de sons. A imitação começa. Perceba o ritmo. Surgem as primeiras noções de gostos musicais próprios.
  • 10-11 anos. O desenvolvimento musical perde força nessas idades e se estabiliza. Aqui entra em jogo o fato de a criança receber uma educação musical específica.

Perfil de sujeitos com Inteligência Musical

Desde tenra idade, as pessoas que se destacam na inteligência musical tendem a ser atraído por todos os tipos de melodias, bem como os sons da natureza. Você pode vê-los seguindo a bússola com o pé ou através de um objeto. Eles gostam de cantar, ouvir música, tocar (ou tentar) algum instrumento.

Seu aprendizado, em geral, É muito mais poderoso se combina com ritmos, melodias ou ouvindo música. Eles são muito criativos e inventam suas próprias músicas. Esse tipo de inteligência pode se manifestar antes de receber qualquer tipo de ensino musical.

Um aspecto importante que atrai muita atenção é o rápidos avanços feitos pelo sujeito quando ele recebe treinamento musical. É uma evidência clara que pode mostrar que biologicamente eu já estava preparado para a música. Quando éramos pequenos, um colega de classe sempre se destacava do resto na aula de música. Outro exemplo de inteligência musical são as crianças autistas com dificuldades em falar, mas tocam um instrumento de maneira excepcional.

Outra característica das pessoas com inteligência musical são aquelas capaz de ouvir uma melodia e tocá-la respeitando as qualidades do som sem dificuldade excessiva. Da mesma forma, eles são capazes de conceituar o significado de uma melodia e combinar seus elementos, criando, assim, novas formas musicais.

Promovendo Inteligência Musical

Obviamente Embora tenhamos inteligência emocional excepcional, empoderamento e desenvolvimento são essenciais. É inútil usufruir dessa habilidade se nosso ambiente não nos estimular e não encorajar essa faceta. Podemos "vir preparados" para ser virtuosos com o piano, mas se nunca tivermos a oportunidade de tocá-lo, nunca exploraremos essa habilidade.

Quando exploramos esse aspecto, podemos adquirir uma habilidade e um domínio tão altos que criar uma música pode ser uma tarefa simples. Podemos combinar ritmos, sons, melodias, instrumentos com alguma facilidade.

John williams, diretor e compositor musical de trilhas sonoras de filmes famosos como Superman, Guerra nas Estrelas, Indiana Jones ou E.T., é um exemplo claro de grande inteligência musical. Um homem capaz de compor trilhas sonoras que se destacam na história da música e são conhecidas mundialmente.

Enquanto para algumas pessoas pode ser uma tarefa titânica compor uma música, John Lennon e Paul McCartney conseguiram criar músicas de sucesso em poucos dias. Aqui você pode ver como algumas pessoas desfrutam de uma inteligência musical clara. No entanto, em outras facetas, como o esporte, elas podem ter zero sucesso. E como Howard Gardner diz mais uma vez, não é nem melhor nem pior; apenas diferente. É sobre diferentes inteligências.

Bibliografia

  • Gardner, H. (2004). Mentes flexíveis: a arte e a ciência de saber como mudar nossa
    Opinião e a dos outros. Barcelona: Paidós.
  • Gardner, H. (2005). As cinco mentes do futuro: um ensaio educacional. Barcelona:
    Paidós
  • Gardner, H. (2005). Inteligência reformulada: múltiplas inteligências no
    Século XXI, Barcelona, ​​Paidós.
  • Gardner, H., (2011). Inteligências múltiplas: A teoria na prática. Paidós Ibérico.
  • Gardner, H. (2012). O desenvolvimento e educação da mente. Paidós Ibérico.
  • Pirfano, I., (2013). Inteligência musical. Plataforma Editorial
Testes relacionados
  • Teste de inteligência
  • Teste de Múltiplas Inteligências
  • Teste de inteligência emocional
  • Teste de inteligência (profissional)
  • Filho preguiçoso ou muito inteligente?