Detalhadamente

Dicas psicológicas para desfrutar de um Feliz Natal

Dicas psicológicas para desfrutar de um Feliz Natal

O Natal é um tempo desejado por muitos e, ao mesmo tempo, pouco esperado por muitos outros. As canções falam de alegria e amor, a razão de ser dessas festas, mas para algumas pessoas esses conceitos estão longe de ser um feriado que pode causar sentimentos de estresse e nostalgia. Hoje falamos sobre por que o Natal pode desencadear sentimentos negativos e como podemos aproveite de novo Como uma oportunidade de viver bons tempos.

Conteúdo

  • 1 Como você recebe um Feliz Natal?
  • 2 O porquê da tristeza natalina
  • 3 dicas para viver um feliz Natal
  • 4 Concentre-se no momento presente
  • 5 Planeje com o tempo
  • 6 Evite conflitos
  • 7 Diminua nossas expectativas

Como você recebe um Feliz Natal?

Feliz Natal é o que todos queremos um ao outro, mas o que faz um Natal realmente feliz? Talvez o estudo realizado por TimKasser e Kennon M.Sheldon Esclarecemos algumas respostas. Esses pesquisadores levantaram a idéia de que, apesar da importância do feriado de Natal em diferentes culturas, poucos estudos investigaram as experiências que tornam esse feriado agradável ou não.

Assim, eles perguntaram aos indivíduos entre 18 e 80 anos sobre os aspectos que tornaram essas partes positivas. Do total de participantes, três quartos disseram ter um Natal satisfatório, enquanto 10% disseram o contrário. Outros 44% consideraram sentir-se estressados, mas ao mesmo tempo satisfeitos.

Quais fatores contribuíram para que as percepções dos participantes fossem diferentes? Os pesquisadores descobriram que eles eram atividades familiares e espirituais que tornaram o Natal algo desejável, enquanto os gastos econômicos e o materialismo os fizeram se sentir estressados ​​e menos alegres.

Além disso, o estresse causado pelas obrigações no Natal parece ter um impacto maior nas mulheres que são, em grande maioria, aquelas que geralmente carregam seus ombros o peso da celebração e dos preparativos para as reuniões familiares, sendo as que mais se sentem ansiedade experiência

O porquê da tristeza natalina

Embora para muitos o Natal seja a melhor época do ano, todos conhecemos o outro lado desses feriados: a tristeza do Natal. Canções de Natal, decoração, reuniões e presentes às vezes podem ser prejudicados por um sentimento de saudade e insatisfação que faz com que algumas pessoas prefiram evitar esses feriados ou lançar o típico "Eu odeio o Natal".

O Natal é geralmente uma estação mágica em nossa infância, momentos cheios de entusiasmo e alegria que são registrados em nossa memória adulta como algo deixado para trás e que nunca viveremos com tanta emoção.

A passagem para a vida adulta pode ter trazido mudanças, perdas familiares ou problemas que podem inevitavelmente levar-nos a comparar os natais do passado com os do presente. Isto faz o que algumas pessoas se sentem frustradas e não querem comemorar uma festa para o qual eles não encontram mais a mesma razão de ser, devido a expectativas elevadas.

Dicas para viver um feliz Natal

Essa mistura de nostalgia e estresse por ter de suportar muitas obrigações faz com que o Natal seja sufocado por algumas pessoas. Para poder levá-los adiante e apreciá-los:

Concentre-se no momento presente

Quando revivemos essas férias todos os anos, podemos nos sentir impressionados com as lembranças que tivemos desde a infância ou os tempos passados. Talvez as pessoas que nos acompanham não sejam mais as mesmas e / ou por razões de destino, essas reuniões nos tragam lembranças que podem nos machucar de alguma maneira.

Faça um esforço para retornar ao momento presente e valorizar o que nos rodeia hoje, as pessoas que temos por perto e os momentos que ainda estão por viver, podem nos tornar mais conscientes do momento em que vivemos e aproveitá-lo como ele merece, com foco no presente e desfrutando de nosso entorno para torná-lo mais agradável e também para tornar as outras pessoas mais felizes graças à nossa atitude. Uma vez que o que vivemos agora também se tornará uma preciosa memória futura que, em algum momento, lembraremos com alegria.

Planeje com tempo

Terminamos as férias de verão e retornamos à rotina sem, às vezes, perceber a passagem dos dias. Quando menos esperamos, o Natal cai sobre nós sem pestanejar e estamos imersos em uma espiral confusa de compras e consumismo, além de festas e seus preparativos.

O gasto econômico que somos quase forçados a fazer nessas datas contribui muito para aumentar nossos níveis de estresse.

Um bom remédio para não cair nessa situação é planejar as coisas a tempo. Limite realista as despesas que queremos elevar e realize os preparativos com dias ou semanas de antecedência, para que a situação não escape ao nosso controle e possamos viver as férias com maior fluidez e tranquilidade.

Se percebermos que a situação nos ultrapassa ou que estamos sobrecarregados com responsabilidades que recaem principalmente sobre nós, não devemos hesitar em pedir ajuda a outras pessoas para tornar esse trabalho mais justo e menos estressante para uma única pessoa.

Evite conflitos

Embora seja desejável passar as férias exclusivamente com pessoas com quem temos um relacionamento afetuoso, às vezes inevitavelmente precisamos nos encontrar com parentes ou parentes com quem não temos um bom entendimento. Neste caso é normal que surjam conflitos e discussões que contribuam para a nossa falta de desejo de viver essas partes.

Uma boa opção para não permitir que esses conflitos nos afetem é tente evitá-los por padrão. Ou seja, lembre-se de que isso pode acontecer e prepare uma resposta neutra a situações de conflito. Algo como "Prefiro conversar sobre isso mais tarde", além de nos aposentarmos oferecendo nossa ajuda na cozinha ou ligando para um amigo por telefone.

Diminua nossas expectativas

Às vezes, consideramos festas em que tudo será perfeito e nos empolgamos com expectativas muito altas. Algumas expectativas que podem contrastar com uma realidade cheia de contratempos e defeitos que podem nos libertar bastante. Compreender que as coisas não podem correr perfeitamente e que os planos podem oscilar é essencial para não cair em frustração e valorizar as coisas que permanecem em nossas vidas e nos fazem felizes.

O Natal pode ser estressante, mas também um momento muito especial, especialmente para os mais pequenos. Podemos aprender a apreciá-los novamente ou, pelo menos, a deixar de lado sentimentos negativos, adotando outros hábitos, como os descritos acima. Para que este Natal se torne uma lembrança preciosa em nossas vidas futuras.

Links de interesse

William Reville: A psicologia oculta do Natal. 2015. //www.irishtimes.com/news/science/william-reville-the-hidden-psychology-of-christmas-1.2457482.

O que contribui para um feliz Natal? Tim Kasser e Kennon M. Sheldon. //web.missouri.edu/~sheldonk/pdfarticles/JOHS02.pdf.

Compreendendo e lidando com o Christmas Blues Darlene Lancer. //psychcentral.com/lib/understanding-coping-with-the-christmas-blues/